Ao navegar neste site está a dar o seu acordo às Condições Gerais de Utilização. Consulte também a nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais e Política de Cookies
MyFidelidade App

A complexa relação entre o mundo do trabalho e a saúde mental

A complexa relação entre o mundo do trabalho e a saúde mental

O mundo vive tempos desafiantes, com sucessivas provas à resiliência individual de cada um de nós. Num contexto marcado por constante mudança, volatilidade e intensa competitividade, as organizações vivem também momentos particularmente exigentes, uma vez que as demandas de uma economia globalizada não dão trégua.


Os Colaboradores são o ativo mais importante nas organizações e são, naturalmente, impactados por este mesmo cenário, facto que deve ser encarado com particular preocupação. Com efeito, sabendo que o trabalho representa uma parte muito significativa da nossa vida este deve ser um dos contextos onde devemos prestar maior atenção ao nosso bem-estar e saúde mental.


Os aspetos relacionados com a organização e ambiente de trabalham integram o conceito de Riscos Psicossociais, que consubstancia parâmetros e indicadores que, caso se verifiquem, são suscetíveis de ter impacto negativo na saúde e bem-estar dos Colaboradores.



Quais os riscos mais frequentes para quem trabalha?

São várias as situações – riscos – que podem verter impacto negativo nos Colaboradores dentro de uma organização: stress ocupacional, regime de trabalho noturno ou por turnos, carga e ritmo de trabalho, discriminação, assédio moral e sexual, jornadas de trabalho, isolamento (por exemplo, se se generalizar o teletrabalho), dificuldade no equilíbrio entre vida pessoal e profissional, entre outros, dependendo da atividade.




Que tipo de consequências podemos esperar?

Seja físico ou psicológico, o impacto é negativo. Dores musculares e articulares, dores de cabeça, problemas cardiovasculares, hipertensão e muitos outros são alguns dos efeitos a nível físico, aos quais pode acresce – e geralmente acresce - impacto psicológico, de que são exemplos stress, ansiedade, depressão, burnout, etc.


Os Riscos Psicossociais são uma das maiores ameaças à saúde física e mental dos Colaboradores e, consequentemente, ao bom funcionamento e produtividade das organizações. Muitos empregadores enfrentam perdas significativas nas suas contas e a razão está em Colaboradores menos produtivos, menos eficazes ou em elevadas taxas de absentismo motivadas por doença.



Que medidas podem ser tomadas para uma maior consciência do bem-estar no trabalho?

Avaliação dos Riscos Psicossociais, prevenção do stress laboral, estímulo a práticas de gestão baseadas na promoção da saúde e bem-estar em contexto laboral e investimento no desenvolvimento de competências de liderança para a mudança são essenciais para a construção de locais de trabalho saudáveis. Ambientes de trabalho com estas características possibilitam um largo conjunto de benefícios para colaboradores, organizações, sociedade e economia.



Um ambiente de trabalho saudável começa em cada Colaborador

A identificação dos riscos psicossociais por parte da organização é importante, mas os Colaboradores podem (e devem) ser agentes ativos na vigilância do seu estado de saúde. Assim, é importante que estejam atentos a alguns comportamentos que podem gerar stress no trabalho, como trabalhar demasiadas horas, não fazer pausas ou prescindir de férias. Ainda, identificar sinais físicos e psicológicos sugestivos de stress como cansaço, dores, falta de energia, ansiedade, nervosismo, entre outros, é fundamental para evitar situações mais graves.

E porque prevenir é mesmo melhor que remediar, a adoção de estratégias ativas de prevenção do stress é fundamental e pode passar por estabelecer um bom relacionamento com os colegas, o que irá tornar o espaço físico de trabalho aprazível e onde queremos estar. Finalmente, cada um de nós deve cuidar da própria saúde mental e bem-estar, assegurando o autocuidado e mantendo o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Ações simples, que podem fazer toda a diferença!



Locais de trabalho saudáveis constroem-se com o contributo de todos

Contribuir para a construção de culturas organizacionais saudáveis é fundamental. Para tal, é necessário avaliar e monitorizar a saúde dos Colaboradores de forma regular e sistemática, por forma a desenvolver planos de prevenção no domínio dos Riscos Psicossociais, assim como implementar ações e estratégias de promoção da saúde mental e bem-estar - por exemplo, medidas de apoio à parentalidade, ao equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, formação na área da saúde e bem-estar no local de trabalho, etc.
Todas estas medidas, aplicadas de forma consistente e organizada, poderão servir de pilares fundamentais para garantir um ambiente de trabalho são, bem como assegurar o equilíbrio dos colaboradores.
Mais informações sobre Locais de Trabalho Saudáveis e como construí-los em www.maisprodutividade.org.

Autoria: Ordem dos Psicólogos Portugueses
Apoio e edição: Multicare

​​